Gabriela Relvas Tag

Sento-me na sala, como de costume, nos lugares vazios da quinta fila a contar da frente. Um, dois, três, quatro, cinco. É aqui. Os lugares que ninguém quer são a minha escolha óbvia. As cabeças distraem-me e fazem-me perder o filme. Vou sentar-me naquelas. É...

Todas as certezas, todas, parecem-me tão permeáveis que lhes devia dar outro nome. Eu estou certa que amanhã é outro dia, não estando certa. Amanhã o mundo acaba, amanhã eu não acordo, amanhã o dia é exatamente o mesmo dia, com as mesmas “indescobertas”. Ora,...

Foi numa noite normal de janeiro (de 2016) que assisti ao filme Joy. Uma biografia/comédia dramática sobre uma jovem brilhante, divorciada e mãe de 2 filhos, entregue a uma vida madrasta, até inventar um esfregão de limpeza genial. Agora que escrevi isto, pareceu-me a sinopse...

O telemóvel da Helena mal tocava. E, quando tocava, o toque parecia-lhe até menos audível. “Antes um vigoroso jovem cheio de testosterona, agora uma mulher no pico da menopausa”, dizia ela. A solidão da Helena persuadia-a a dar vida, ou pouca vida, às coisas que...

Acordaste nesse dia normal. Tinhas as meias perdidas no fundo da cama. Por esses dias tiravas sempre as meias enquanto dormias. Sabia-te bem deslizar um pé no outro enquanto acordavas melhor. Sabia-te bem girar sobre os lençóis e entregar os braços aos…  -  Aos lençóis que não...

A Helena andava agitada. Então, de manhã, a música que ouvia era mais frenética, chamava-lhe de “música espanta merdas“. Acordava numa espécie de ferver antecipado, antes do dia a provocar com qualquer coisa que fosse. Não acontecia, ela provocava. Fervia, enquanto o café fervia. Esperava...

Quando nascemos mulheres e temos 34 anos, o mundo passa a comportar-se de forma estranha. Falo do meu mundo, o único que conheço e que a saber, sei muito pouco. Ainda assim, purgar estas matérias, falar-me, é um remédio que não se vende. O mundo passa...