paixão Tag

O vento esqueceu-se deste lugar. Lembrou-se dele o sol e a serenidade de tudo o que é coisa de muita gente não tem. O vento não se lembrou, mas deixou o mar lembrar-se e soprar dele, suave. A sussurrar baixinho. E a minha vontade assim...

Exagerar, a Helena andava com sede de exagerar. A vida como ela é não lhe parecia suficiente e por isso desafiava o tempo com a impaciência que imperava a sua existência. - Os casamentos são feitos de engenheiros e radiologistas. Tudo por amor. - Essa é a...

Foi numa noite normal de janeiro (de 2016) que assisti ao filme Joy. Uma biografia/comédia dramática sobre uma jovem brilhante, divorciada e mãe de 2 filhos, entregue a uma vida madrasta, até inventar um esfregão de limpeza genial. Agora que escrevi isto, pareceu-me a sinopse...

O telemóvel da Helena mal tocava. E, quando tocava, o toque parecia-lhe até menos audível. “Antes um vigoroso jovem cheio de testosterona, agora uma mulher no pico da menopausa”, dizia ela. A solidão da Helena persuadia-a a dar vida, ou pouca vida, às coisas que...

E da paixão eles nunca foram. Da paixão, dessa terra abandonada onde quem tinha a sorte e a coragem de entrar era pássaro que assobiava alto. Tratavam-se por “amor”. - Amor. - Meu amor. Miseráveis. O cartão de convite da relação foi negociado logo ali, no primeiro café. - Carro? - Mercedes...

A Helena andava agitada. Então, de manhã, a música que ouvia era mais frenética, chamava-lhe de “música espanta merdas“. Acordava numa espécie de ferver antecipado, antes do dia a provocar com qualquer coisa que fosse. Não acontecia, ela provocava. Fervia, enquanto o café fervia. Esperava...

(Des) Encontrei-te Como se encontram Inesperadamente, Fotografias de amores incomparáveis. Na caixa que todos guardamos, Estavas lá Sem que te conhecesse ainda. E o teu corpo, Mudo. Tanto que o ouvia Só te ouvia. A tua mão mexeu-se Arranjaste o casaco Contorci-me Caí toda de pé. Fiquei-me nos meus pés Ali Sem altos portões Sem frases bonitas Despida. Doze demorados segundos despida Lambi o chão. A sala...

Quando nascemos mulheres e temos 34 anos, o mundo passa a comportar-se de forma estranha. Falo do meu mundo, o único que conheço e que a saber, sei muito pouco. Ainda assim, purgar estas matérias, falar-me, é um remédio que não se vende. O mundo passa...