Author: Gabriela Relvas

Tem o dom na voz, a arte na escrita e se falarmos de almas, a dela, só pode ser antiga.   A Cuca, a nossa Cuca, digo assim porque canta em português e sabe fazê-lo tão bem. Tira-nos o retrato em canção de uma forma leve e...

Tive a sorte de entre todos os lugares do mundo, darem-me Portugal de presente. País de distâncias curtas e ofertas imensas. Se quero magia, tenho Sintra. Lugar que dispensa planos. Quem aqui vem deve perder-se nas horas.   Sintra existe assim sempre. Apaixonante. Incomparável. Irrepetível. Recusa a ser...

Andar aqui e ali ver o que não vi E ter o meu acolá Assim Já. Sabido. Seguro. Com a fruta vinda da terra E a mesa, Contigo. Atirar para o ar que o mar subiu fazer a conversa com quem sempre me viu na casa da Alice e do Zé onde o café é barato e o vizinho, um...

Aquela coisa é que era Aquela coisa que ela tinha Não sei se vinha dela Ou era imaginação minha Sempre que lhe via o passo Sua coisa impressionante Eu ficava mudo Ali, na espera de ti Esquecido de tudo. E vinha o samba e as ondas do ondular do teu corpo o que era morno ficou sobrou virou passado. Sumido. Veio...

A ti, país do Evereste   Nepal, 25 de abril de 2015 Aqui a terra tremeu. E o abalo sentiu-se na Índia, Bangladesh, Tibete e Paquistão. Portugal, 25 de abril de 2015 Escrevia sobre liberdade. Nepal, 29 de abril de 2015 Cinco mil mortos, mas estimam-se dez mil. Um milhão e meio...

DE CASA Conheço muitas pessoas. Muitas ciclos de vida. Sei de fases menos boas e de outras extasiantes. Sei-as porque as sinto na pele e as vou vestindo também. Sei até de quem não se inscreve no ginásio porque está acima do peso. Exatamente isto. Não há...

Quero-te. Se não te tenho, sou estrago, trapo, pena de vida. Se tenho medo, perdi-te. Prendi-me. Enorme Ser, estado de alma! Avesso à calma. E a vida? Diz-me Terra preenchida? Essa, não se faz andando. Em Ti é querida. Em Ti é espanto. Pura. Nua. Verdade tão minha e tão tua. * Tens-me? Ou és choro. Pranto. Devias querer-me, como quem se quer tanto. * Liberdade. GR ...