Doze segundos

Doze segundos

(Des) Encontrei-te
Como se encontram
Inesperadamente,
Fotografias de amores incomparáveis.

Na caixa que todos guardamos,
Estavas lá
Sem que te conhecesse ainda.

E o teu corpo,
Mudo.
Tanto que o ouvia

Só te ouvia.
A tua mão mexeu-se
Arranjaste o casaco
Contorci-me
Caí toda de pé.
Fiquei-me nos meus pés
Ali
Sem altos portões
Sem frases bonitas
Despida.
Doze demorados segundos despida

Lambi o chão.

A sala estava cheia
Camadas de gente.
Calcavam-me com os sapatos.

Da ponta da sala
Do lugar onde te via
Dos oito metros que nos separavam
Puxei-me do chão
Pus-me bonita

Vesti-me e calcei os sapatos
Ergui os portões.

Não me viste
Não te falei

Fugi
Como fazem as crianças.

Gabriela Relvas

Upgrade-AVP Annuza

4 Comments
  • Sandra Santos
    Posted at 09:49h, 17 Janeiro Responder

    Bonito!! ❤️

    • Gabriela_Relvas
      Gabriela_Relvas
      Posted at 18:42h, 17 Janeiro Responder

      Sempre tão bom ler o vem de ti!

  • Jorge Albuquerque
    Posted at 03:16h, 18 Janeiro Responder

    Gosto muito 🙂

    • Gabriela_Relvas
      Gabriela_Relvas
      Posted at 14:39h, 18 Janeiro Responder

      Que bom saber! Não fazia ideia que gostavas de poemas!

Post A Comment