Meu amor, como te sentes hoje? Conta… como foi o teu acordar esta manhã? Que primeira imagem foi essa que viste quando abriste os olhos? Acordaste com a luz do sol a furar as frinchas da janela? Sabes, sinto que sim. Hoje, aqui no meu quarto, do lugar...

E as ideias não me param na cabeça. Pairam. Perdi o foco. Não me concentro em nada e em tudo me perco. O sorriso não me sai dos olhos, dos lábios, do queixo e das bochechas que se comportam separadamente do meu todo. É como se isto...

E da paixão eles nunca foram. Da paixão, dessa terra abandonada onde quem tinha a sorte e a coragem de entrar era pássaro que assobiava alto. Tratavam-se por “amor”. - Amor. - Meu amor. Miseráveis. O cartão de convite da relação foi negociado logo ali, no primeiro café. - Carro? - Mercedes...

Como se sente o Amor? Como será essa coisa que nos transforma. Dizem-no. Dizem tanta coisa. Eu já não me lembro. Como poderei eu dizer que não me lembro? Mas não me lembro. Como é? Ontem disseram-me, “faz-nos cócegas”. Faz? Faz mais o quê? Cócegas não me...

A Helena queria que ele a impressionasse com palavras. Esperava que a próxima mensagem a fizesse resolver equações cúbicas e quase ficar sem resposta, numa inquietude de quem não se sacia com nada. Ela e ele eram só mensagens. Tudo mensagens. Não se conheciam, muito menos...

Acordaste nesse dia normal. Tinhas as meias perdidas no fundo da cama. Por esses dias tiravas sempre as meias enquanto dormias. Sabia-te bem deslizar um pé no outro enquanto acordavas melhor. Sabia-te bem girar sobre os lençóis e entregar os braços aos…  -  Aos lençóis que não...

A Helena andava agitada. Então, de manhã, a música que ouvia era mais frenética, chamava-lhe de “música espanta merdas“. Acordava numa espécie de ferver antecipado, antes do dia a provocar com qualquer coisa que fosse. Não acontecia, ela provocava. Fervia, enquanto o café fervia. Esperava...

(Des) Encontrei-te Como se encontram Inesperadamente, Fotografias de amores incomparáveis. Na caixa que todos guardamos, Estavas lá Sem que te conhecesse ainda. E o teu corpo, Mudo. Tanto que o ouvia Só te ouvia. A tua mão mexeu-se Arranjaste o casaco Contorci-me Caí toda de pé. Fiquei-me nos meus pés Ali Sem altos portões Sem frases bonitas Despida. Doze demorados segundos despida Lambi o chão. A sala...

Quando nascemos mulheres e temos 34 anos, o mundo passa a comportar-se de forma estranha. Falo do meu mundo, o único que conheço e que a saber, sei muito pouco. Ainda assim, purgar estas matérias, falar-me, é um remédio que não se vende. O mundo passa...